segunda-feira, 7 de julho de 2008



Eu já não sonho, eu já não fumo
Já não tenho sequer história
Eu sou feia sem ti, Eu estou suja sem ti
Como uma órfão num dormitório

Já não tenho vontade de viver a minha vida
A minha vida para quando partes
já não tenho vida
E até a minha vida se transforma em cais
Quando tu partes

Estou doente, completamente doente
Como quando a minha mãe saia a noite
e me deixava sozinha com o meu desespero
Estou doente, perfeitamente doente
Chegas Nunca sabemos quando
Partes Nunca sabemos onde
E já vais fazer dois anos que estás a marimbar-te para isso

Como uma rocha, estou agarrada a ti
Estou cansada, estou exausta
De fazer de conta que sou feliz
Quando eles estão aqui
Bebo todas as noites
mas todos os whiskys, para mim, têm o mesmo sabor
Todos as barcos têm a tua bandeira
Já não sei onde ir, estás em todo lado

Estou doente, completamente doente
Despejo o meu sangue no teu corpo
E sou como um pássaro morto, quando tu dormes
Estou doente, perfeitamente doente
Privaste-me de todos meus cantos
Esvaziaste-me de todas as minhas palavras
No entanto, dizias que eu tinha talento antes de te pores andar

Este amor mata-me
E se isto continua
Vou morrer sozinha
perto do meu radio, como um "puto" estúpido
a ouvir a minha própria voz a cantar:

Estou doente, completamente doente
Como quando a minha mãe saia a noite
e me deixava sozinha com o meu desespero
É isso: estou doente
Privaste-me de todos meus cantos
Esvaziaste-me de todas as minhas palavras
E tenho o coração completamente doente
Cercadas as minhas barricadas
Ouves? Estou doente

Je suis malade (Serge Lama/Alice Donna) por Lara Fabian

Tradução feita por mim.

Para quem não entendeu está minha longa ausência, passo a explicar, mas antes mais agradeço as pessoas preocupadas que me enviaram mails a questionar.
Estou desde dia 30 Junho, oficialmente, desempregada. Sem subsídio, sem prespectivas, descrente no sistema... Dediquei 2 anos e meio da minha vida a uma causa em que acreditava. Fazia o que amava. Amava o que fazia. Via o meu trabalho reconhecido. Mas na hora da verdade falaram-me em prioridades, retenções de custos, não admissão. O meu mundo virou, meus sonhos esfumaram-se, minha auto-estima caiu por terra, meus planos deixaram de fazer sentido. Não acredito neste país. Tudo me soa a corrupção, interesses, favores... Competência é uma palavra que perdeu o significado. Já não sonho com os meus sonhos! Já não sonho com o meu país! já não sonho. Nunca me senti tão revoltada com este país e o seu sistema. Tenho dito e acredito nisso:
não nascemos todos sob o mesmo céu e eu tive o azar de nascer sob o céu errado.

Para piorar, se é que é possivel, o meu pc velinho velinho decidiu pedir a reforma e eu fiquei em casa, afastada da civilização e sem pc, logo internet!

Quanto ao pessoal do artesanato quero que saibam que o meu blog não tem transmitido o ritmo do meu trabalho, porque tenho produzido bastante mas não tinha disposição para tirar fotos e net para as postar.

2 comentários:

Coisas de Mulher disse...

Oh! querida!
Não sabia disto, realmente este país está pela hora da morte, é indecente!
Há dias houvi uma pessoa dizer que estas crises são boas para fazer uma "lavagem" do que não presta.
Lavagem?!?!
Só se for de pessoas!!! As mais desfavorecidas claro!!!!
Dá-me impressão que os nossos governantes só querem que cá fiquem os ricos!
Haja paciência para aguentar isto e ânimo para continuar em frente!
Beijinho grande amiga!

Su disse...

Como eu te percebo...sinto exactamente isso tudo... Possibilitaram-me tirar um curso superior e fizeram-me acreditar que poderia ensinar... já á vão 5 anos e