quinta-feira, 4 de junho de 2009

Bosta


Hoje a passar junto ao campo pequeno logo de manhazinha, cheirava a bosta! Para não dizer a palavra certa, merda! Merda mesmo! Mas a mim cheirou-me a muito mais do que isso, cheirou-me a vaidade, a injustiça mas sobretudo a cobardia... quase que ouvia a palmas na minha cabeça. Cada passo intensificava o cheiro, o cheiro a agonia, desprezo e morte... e por fim de novo as palmas.

DEEM A VOSSA OPINIAO NA MINHA SONDAGEM (ver a direita)



Depuis le temps que je patiente
Dans cette chambre noire
J'entends qu'on s'amuse et qu'on chante
Au bout du couloir ;
Quelqu'un a touché le verrou
Et j'ai plongé vers le grand jour
J'ai vu les fanfares, les barrières
Et les gens autour
Dans les premiers moments j'ai cru
Qu'il fallait seulement se défendre
Mais cette place est sans issue
Je commence à comprendre
Ils ont refermé derrière moi
Ils ont eu peur que je recule
Je vais bien finir par l'avoir
Cette danseuse ridicule...
Est-ce que ce monde est sérieux ?
Andalousie je me souviens
Les prairies bordées de cactus
Je ne vais pas trembler devant
Ce pantin, ce minus !
Je vais l'attraper, lui et son chapeau
Les faire tourner comme un soleil
Ce soir la femme du torero
Dormira sur ses deux oreilles
Est-ce que ce monde est sérieux ?
J'en ai poursuivi des fantômes
Presque touché leurs ballerines
Ils ont frappé fort dans mon cou
Pour que je m'incline
Ils sortent d'où ces acrobates
Avec leurs costumes de papier ?
J'ai jamais appris à me battre
Contre des poupées
Sentir le sable sous ma tête
C'est fou comme ça peut faire du bien
J'ai prié pour que tout s'arrête
Andalousie je me souviens
Je les entends rire comme je râle
Je les vois danser comme je succombe
Je ne pensais pas qu'on puisse autant
S'amuser autour d'une tombe
Est-ce que ce monde est sérieux ?
Est-ce que ce monde est sérieux ?...
Si, si hombre, hombre
Baila baila
Hay que bailar de nuevo
Y mataremos otros
Otras vidas, y otros toros
Y mataremos otros
Venga, venga
Venga, venga a bailar...


Tradução feita por mim:

Desde que espero nesta sala escura
Ouço que se divertem e que cantam
No fundo do corredor
Alguem mexeu no fecho
E mergulhei na direcção DO grande dia
Vi fanfarras, barreiras e gente em volta

Ao inicio pensei que so precisava de  me defender
mas esta praça é sem saida, começo a perceber
Fecharam por detras de mim
Tiveram medo que eu recuasse
Vou acabar por apanha-la aquela balarina ridicula...

Será este mundo sério?
Andaluzia, eu lembro-me
Das pradarias ladeadas de cactos
Não vou tremer perante
Este fantoches, esses pequenotes!
Vou apanha-lo, ele e o seu chapeu
Fazer roda-lo como o sol
Esta noite a mulher do toureiro
Dormirá de orelha levantada

Será este mundo sério?
Persegui fantasmas
Quase que lhes toquei as sabrinas
Bateram forte no meu pescoço
Para que eu me incline
Donde saem estes acrobatas
com seus disfarçes de papel?
Nunca aprendi a lutar
Contra bonecas

Sentir areia sob o meu pescoço
é louco como sabe bem
Rezei para que tudo acabasse
Andaluzia, eu lembro-me
Ouço-os rirem tanto quanto eu reclamo
Vejo-os dançar tanto quanto eu sucumbo
Nunca pensei que fosse possivel divertir-se
Em volta de um tumulo

Será este mundo sério?

Si, si hombre, hombre
Baila baila
Hay que bailar de nuevo
Y mataremos otros
Otras vidas, y otros toros
Y mataremos otros
Venga, venga
Venga, venga a bailar...




Será preciso dizer?

'É de facto difícil afirmar o que é que um Touro sente numa tourada. No entanto, os estudos científicos feitos até agora apontam no sentido de que as agressões sofridas antes e durante as corridas sejam não só dolorosas mas incapacitantes. O touro fica com nervos e músculos rasgados, e a quantidade de sangue que perde continuamente enfraquece-o. Não parece ser sensato pensar que isto pode ser agradável para o Touro, ou mesmo indiferente.O touro, tal como os outros mamíferos, ao ter sistema nervoso central tem capacidade para sentir dor, ansiedade, medo e sofrimento. E os sinais exteriores que mostra na arena denunciam essas emoções.'
'Não há qualquer justificação moral para se causar sofrimento a uma animal para fins de entretenimento. A recusa em ter consideração pelo sofrimento de um animal só pode ter origem em três factores: falta de cultura, falta de educação ou falta de carácter.'



'E se fosses tu na arena?'


Hoje é quinta-feira. Enquanto escrevia este post, onde cheirava a Merda e se batia palmas agonizou mais um animal.

5 comentários:

Don't worry, be happy disse...

Por acaso aquilo tem tendência para cheirar mal às quintas-feiras.....

Dizem que a sociedade evoluiu.. é verdade. Hoje em vez de gladiadores... temos toureiros. O que interessa é que haja sangue para que o som das palmas não definhe.

Mas enfim, quem sou eu para contrariar uma tradição... por mais estúpida que seja.
Sou só mais um voz no poço, esperando que o eco se faça ouvir.

Anya disse...

Arôôôô =)

EU também adooooro chinchilas (olha lá está ele a fazer aqueles barulhinhos para chamar a atenção, heheheh). Eu também sou perdida por animais...

Vou dar uma passeata pelo teu blog =D

beijokas e volta sempre k quiseres lá ao meu cantinho =D

Vanessa Guerra disse...

olá.. eu tambem nao gosto de touros mas a minha amiga adora.. que se há-de fazer lol... beijocas

Lena Salazar disse...

Olá amiga,
Passa no meu blog para veres a "Princesa" que eu encontrei abandonada na beira da estrada e que agora já tem uns donos que a adoram.
www.pedacinhosdearte.blogspot.com
Bjs
Helena

Su disse...

Tb n consigo appreciar toiradas... apesar desde miúda os meus pais gostarem e da tradição e festas da nossa terra as incluir..

E f.cabrel é aquela coisa... um dos melhores!